Análise – Attack of the Earthlings

attack of the earthlings

Junkfish Limited

Team Junkfish

Estratégia por turnos / Stealth

08 de fevereiro de 2018

Inglês

Inglês, Alemão, Espanhol, Russo, Chinês simplificado, Italiano, Japonês, Coreano

2.5GB

Os jogadores estão cada vez mais acostumados a RPGs, jogos de ação e aventura, battle royale, First-Person Shooter, sempre cheio de competição e muitas vezes esquecem um pouco que um jogo tem o intuito de divertir também e é justamente ai que surgem os jogos indie, que muitas vezes exploram elementos mais amplos e tornam um género em algo muito maior. E um excelente exemplo disso, é justamente Attack of the Earthlings.

Attack of the Earthlings é um jogo de estratégia por turnos desenvolvido pelo estúdio escocês, Team Junkfish e que combina elementos de XCOM, mas nos coloca no lado oposto da guerra e traz um humor negro de qualidade.

A historia nos apresenta a Galactoil, uma empresa interestelar de energia, dedicada a recolher e explorar os recursos de qualquer planeta da galáxia, sem nunca se importar com quantas vidas terá de sacrificar no processo. Então acompanhamos a sua viagem até o Planeta X13, onde já chegam a causar o caos e a despertar o ódio dos seus habitantes, os insectoides conhecidos como Swarmers.

O diferencial do jogo é que não estamos do lado dos humanos, eles não são as vítimas de uma invasão alienígena cliché de filmes e outros jogos, a nossa raça é que, na verdade, é uma ameaça e iremos controlar esses alienígenas numa busca por vingança contra os humanos e ficamos com uma sensação clara de que esses humanos realmente só conseguem (ou nem isso) lidar com insetos. Esse é basicamente um jogo que se diverte a brincar com aquilo que uma indústria capitalista com uma gestão quebrado consegue fazer.

A gerir o lado humano temos o Sr. Pecker, um personagem sádico e que apenas ouvimos a sua voz, porém, ele é o estereótipo do executivo de uma grande empresa que vê os seus funcionários como números e quando temos muito dinheiro, normalmente uma redução nesse numero não afeta tanto assim a nossa vida. Já do lado dos alienígenas, a figura principal será a Matriarch, a qual devemos sempre estar atento, já que a sua morte significa o sucesso da missão dos humanos.

O conceito é até bem simples, ao contrario de XCOM que as unidades já estão prontas, em Attack of the Earthlings a Matriarch será a unidade principal e é dela que será gerada outras unidades alienígenas. Cada uma dessas unidades possui um número limitado de pontos de ação, para se mover, atacar ou utilizar alguma habilidade e após ter gerido esses pontos, é hora de passar para a IA realizar a ação com os humanos.

A ambientação será as instalações da nave de exploração da Galactoil e o nosso objetivo é avançar pelos sete níveis dessas instalações até a sala principal onde estão os executivos. Durante essa jornada como já mencionado iremos controlar a Matriarch que pode atacar e consumir os corpos dos seres humanos para produzir “biomass” que será utilizado para criar novas unidades, sendo a primeira delas conhecida como “Grunt”. Essa será uma unidade inicial extremamente útil, mas com pouca vida e quase nenhuma armadura, mas não se preocupem, é apenas o início.

Com o avançar da missão de vingança, será possível melhorar ou até mutar essa unidade básica, em novas unidades como os Stalker especializados em assassinato e capazes de perfurar armadura, os Disrupter, uma unidade focada em ataque a distância e distração ou no poderoso Goliath, uma unidade tank com grande força e armadura. Também será possível, a própria Matriarch absorver inimigos, a conseguir assim se mover sem alertar outros humanos da sua presença.

Ao finalizar cada nível, a nossa progressão será analisada em relação a quanto tempo foi necessário para completar a missão, quantas unidades humanos foram mortas, quantas notaram a nossa presença, etc e isso irá afetar a quantidade de “Mutagen” recebida. Esses mutagênicos é justamente o que iremos utilizar para evoluir as nossas habilidades e ser capaz de criar novas unidades, então quanto melhor for o nosso desempenho, melhorar será as nossas capacidades para a próximo nível.

A nível gráfico, não iremos encontrar aqui algo ultra realista, até porque não faria sentido dentro do conceito do jogo, na verdade, o gráfico está mais próximo de uma animação infantil, o que ajuda ainda mais na atmosfera de humor que o jogo se propõe a trazer. Infelizmente o jogo não traz uma grande variedade de humanos, assim como de alienígena, mas não, é algo que irá afetar de maneira negativa a sua experiência.

A banda/trilha sonora acompanha a ambientação mais isolada que o jogo tem, com maior destaque para efeitos sonoros como gritos, os sons que cada alienígena produz ou o som característico de cada arma. Já em nível de dialogo, o jogo infelizmente está mais limitado nesse sentido, já que os humanos não possuem uma grande variedade de diálogos, sendo esses através de texto com apenas ruídos por cima, mas isso também aumenta ainda mais a importância do Sr. Pecker que nos momento em que surge rouba por completo o protagonismo.

Algo que pode frustrar um pouco os jogadores é o fator replay do jogo, já que após concluir a sua experiência, no jogo pela primeira vez, não terá muito motivo para regressar a esse universo insano e cheio de humor, afinal já viu tudo. Mas isso no futuro pode ser facilmente resolvido com novos conteúdos caso o jogo alcance o sucesso esperado pelo estúdio.

Outro ponto que muitos podem considerar negativo, é o fato do jogo não ter legendas em português, óbvio que isso pode ser solucionado caso a comunidade se reúna para legendar o jogo, mas seria interessante ver essa opção de maneira nativa.

Em resumo, Attack of the Earthlings é um jogo de estratégia que foi buscar inspirações em jogos como XCOM, as trouxe elementos únicos e fugiu o clássico cliché onde os alienígenas são o grande inimigo, ao nos colocar justamente na pele desses seres. Com o crescimento natural do desafio a cada nível, o jogo vai obrigar muitos jogadores a pensar de maneira antecipada e se adaptar a cada situação para sobreviver a essa empresa de exploração totalmente disfuncional.

Com toques de humor, uma dificuldade moderada e um antagonista estereotipado, Attack of the Earthlings é o jogo ideal para quem procura uma diversão sem grandes compromissos com a realidade, apenas em oferecer algumas horas de entretenimento.

Jogo analisado com uma cópia para PC fornecida pela Team Junkfish

 

Attack of the Earthlings

Attack of the Earthlings
7.3

Total

8.0 /10

História

7.5 /10

Gráficos

9.0 /10

Áudio

6.0 /10

Longevidade/Replay

6.0 /10

Prós

  • A evolução natural do desafio ao medida que avançamos no jogo
  • A escolha acertada de fugir ao cliché onde o ser humano é sempre a vítima, com nesse jogo a ser a ameaça
  • Apesar de não ser um humor que muitos estão acostumados, proporciona boas risadas em momentos pontuais
  • Árvore de mutagênicos que traz uma maior variedade de jogabilidade com os Swarmers

Contras

  • Falta de variedade nos humanos
  • Uma banda/trilha sonora que merecia maior destaque, principalmente por ter Mikolai Stroinski (The Witcher 3 – Blood and Wine) como responsável.
  • Ausência de legendas em português
  • Falta de mais conteúdos que incentivem o jogador a regressar a esse universo.